D. Graça, Escolha Virgílio Loureiro, Tinto 2011
D. Graça
Escolha Virgílio Loureiro, Tinto 2011
DOC Douro

Este vinho tem por ideia base enaltecer as sinergias que se obtêm quando se lotam os melhores vinhos de um ano de colheita, provenientes de vinhas de altitude (cerca de 600 m), com uma pequena percentagem do melhor vinho proveniente de vinhas baixas (cerca de 200 m). Só é produzido em anos em que a qualidade satisfaz a exigência do enólogo.

ANO DE COLHEITA: O ano vitícola de 2011, no Douro foi muito húmido na Primavera, permitindo a planta ganhar muitas reservas hídricas, no final do ciclo, as temperaturas elevaram bastante e aliadas a baixa produção, provocou um bom amadurecimento até nas castas mais difíceis.

TECNOLOGIA: A tecnologia é minimalista, recorrendo a lagares de granito com pisa mecânica. Após a fermentação, com cerca de uma semana de curtimenta, o vinho foi para cubas de aço inox, onde estagiou até ao engarrafamento, em Junho 2014, após ligeira colagem e filtração. Foi estabilizado pelo frio natural de dois invernos podendo, por isso, formar um ténue precipitado com o tempo, que em nada prejudica a qualidade do vinho.

CASTAS: 1/3 de castas variadas de vinhas antigas, de cota baixa, 1/3 de Touriga Nacional e 1/3 de Tinta Roriz, de vinhas de cota alta

PARÂMETROS ANALÍTICOS:
Álcool  – 14.55%
Acidez total – 5.53 g/L
Acidez volátil – 0.8 g/L
pH – 3.89

PROVA ORGANOLÉPTICA: : Cor vermelha rubi, muito carregada. O aroma, de início, é fechado, mas ao fim de poucos minutos surgem belas notas de frutos vermelhos, flores silvestres e um toque de especiarias. Na boca, surpreende pela notável acidez, estrutura marcante, ligeira adstringência e delicado aroma retronasal, que lhe dão um final longo e elegante.

APTIDÕES: Já se bebe com grande prazer, mas ganhará muito em ter mais tempo de garrafa, de modo a arredondar os taninos e refinar o aroma. Assumirá, então, outra dimensão.

MODO DE SERVIR: Dadas as suas características é indicado para pratos fortes de carnes vermelhas ou assados e guisados de caça. Servir a 16 ºC, sem necessidade de decantação.

PRODUÇÃO: 4 000 garrafas

PRÉMIOS: Grande Medalha de Ouro no Concurso de Vinhos de Portugal 2016

 DOWNLOAD FICHA TÉCNICA

 

 


BEBER COM…

FÍGADOS DE GALINHA COM MAU FEITIO

FÍGADOS DE GALINHA
COM MAU FEITIO

CHEF HENRIQUE MOURO

INGREDIENTES (para 4 pessoas):

300 g de fígados de galinha
4 dentes de alho
Vinho tinto Mau feitio
Vinagre de vinho tinto
200gr de batata
30 gr de tomilho
Folhas de louro
Pés de salsa
2 dl de vinho branco
2 pés de alecrim
11 molho de salsa
1,5 dl Azeite
50 g manteiga
Sal e pimenta

PREPARAÇÃO:

Marinar os fígados com vinho branco, pés de salsa, tomilho, 2 dentes de alho, alecrim, folhas de louro e pimenta.
Assar as batatas no forno a 160º durante 40 minutos, pelar e esmagar temperado depois com salsa picada, azeite, sal e pimenta.

Saltear os fígados em azeite bem quente depois de secos em papel de cozinha e salpicados de sal. Refrescar com o vinho tinto, acrescentar alho em lâminas, a manteiga e algumas gotas de vinagre. Os fígados não deverão ser cozinhados mais que 1 minuto. Temperar com pimenta preta moída ao momento.